terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

MITO: ESTUDO NO CURSINHO

Olá, pessoal. hoje venho discutir um tema do qual demorei um tempo para perceber a importância (leia-se SUMA importância): o estudo no curso. Doravante, por "curso" entenda-se cursos preparatórios em geral, aí incluídos os presenciais, teletransmitidos e até mesmo as vídeo-aulas.

Muitas pessoas acham que, por terem assistido a algumas horas de aula no curso, já estudaram a matéria ali ministrada e não esforçam-se no sentido de praticar o conteúdo exposto na aula por meio de outros métodos de aprendizado. O importante a ressaltar-se é que, na aula, ENTENDEMOS o conteúdo, isto é, com uma pessoa nos explicando a matéria, o assunto passa do campo do desconhecido para o conhecido. O que antes nos parecia até outro idioma, passa a fazer sentido. Entretanto, o estudo (principalmente para concursos) não depende somente de "conhecer" o assunto, mas também de "saber" do mesmo e, mais importante ainda, responder uma questão de prova onde aquilo é abordado. Este sim é o real objetivo de uma preparação específica e, muitas vezes, ignorado pela grande maioria dos concurseiros.

ACERTAR A QUESTÃO é a verdadeira finalidade do aprendizado! Quando o candidato passa a entender essa premissa, destaca-se dos demais e, com certeza, passa algumas milhares de posições na "fila" dos concursos - coloco entre aspas pois acredito que a ideia da teoria da "fila" possa iludir o estudante, o qual corre o sério risco de acomodar-se na eterna "espera da sua vez", não corrigindo as falhas no caminho. Portanto, se o ACERTO na hora da prova é o verdadeiro objetivo, por que muitos ainda se iludem querendo só "conhecer" os assuntos ou, o outro extremo, querendo saber TUDO sobre todas as matérias? Não é nem no "oito" nem no "oitenta" que o estudo para concurso deve pautar-se. O "trinta e seis" que ACERTA a questão da prova é a dosagem certa para aquele que almeja a posse no cargo pretendido.

Talvez por cansaço, falta de tempo, ou, na maioria das vezes, preguiça (pois é mais fácil ficar assistindo alguém falar do que sentar na cadeira com seu livro e estudar) é que os candidatos acomodam-se na má e velha fórmula de SOMENTE "ir ao cursinho". Isso já deu certo em uma época remota, mas os tempos mudaram e as aulas por si só já não são suficientes.
É claro que no início é uma verdadeira TORTURA passar horas diante dos livros e apostilas em um estudo eficiente e eficaz, entretanto, essa prática é um hábito que se aperfeiçoa com o tempo e, com o esforço, logo nota-se a diferença na resistência e, mais importante, no rendimento.
Mas, se só assistir às aulas não é suficiente, o que é um estudo eficiente e eficaz?
Na verdade, essa resposta terá que ser encontrada por cada um, pois o aprendizado opera de formas diferentes em indivíduos diferentes. Todavia, existem métodos de estudo que demonstram, pelos resultados alcançados pelos aprovados, melhor aproveitamento das horas empregadas e maior fixação dos conteúdos. Os principais são (em ordem de importância, sim!):

1 - Resolver questões - Não adianta saber toda a matéria, se, na hora da prova, cai-se naquela casca de banana que o examinador sempre usa. A prática de questões minimiza a probabilidade de o candidato errar por uma "pegadinha" ou falta de atenção a algum detalhe.

2 - Outros métodos, como resumos, quadros sinópticos, "dar aulas para o cachorro", entre outros - Esses meios de estudo demonstram grande resultado e fixam o conhecimento de uma forma que, nem a leitura simples de lei ou livros, nem a participação em aulas sobre o assunto, fixariam, pois é notório que não há melhor modo de aprender do que fazendo, ou seja, praticando. Quando o estudante externaliza o conhecimento sobre o tema, ou seja, verifica o que aprendeu colocando-o em um resumo ou ministrando a aula, percebe que tem dúvidas as quais não notaria se não praticasse. Depois do exercício nas questões de prova, a prática do conteúdo mostra-se o melhor meio de se fixar e lapidar o aprendizado.

Cabe ressaltar, por fim, os pontos positivos e negativos das vídeo-aulas e dos cursos via vídeo. Esses cursos possuem o diferencial da possibilidade de pausa, retorno e avanço da aula na medida da necessidade do aluno. Desse modo, se a pessoa não entendeu o tema explicado, pode "pedir" para o professor repetir (retornando a aula) quantas vezes quiser, sem problemas em atrapalhar a aula, e também para o instrutor "parar" (dando pausa) enquanto toma-se nota de algo importante do assunto, sem perdas na atenção à aula.
Como ponto negativo aponto a impossibilidade de participação na aula, diferencial encontrado apenas nos cursos presenciais.

Tendo em vista todo o exposto, se o candidato deseja maximizar o aproveitamento no estudo não deve apenas contentar-se com o simples comparecimento às aulas, mas esforçar-se em aliar as aulas com o exercício do conteúdo apresentado e, principalmente, praticá-lo em forma de questões. Dessa forma, como dizem alguns professores, "a prova irá 'sorrir' pra você".

Pergunta: E você, que meios prefere para um estudo eficiente e eficaz?

15 comentários:

Anônimo disse...

Adorei! rs É isso mesmo.
Os concurseiros no final nem vão mais a cursinhos (pois já fizeram todos), ficam só em casa estudando.
Eu colava as matérias nas paredes do meu quarto e fazia muito resumo.
Acho o resumo importante, pq só ler o livro voce vai esquecer mesmo, e pra relembrar terá q ler o livro todo de novo rsrs. Vivian.

Marcela disse...

Prefiro vídeo aula mesmo, pois tenho dificuldade em manter a concentração apenas com a leitura. Principalmente se for uma matéria alheia aos meus conhecimentos prévios, fica complicado estudar somente com textos.

Reili Sampaio disse...

1 - Pois é, Vivian, colar matérias na parede é minha especialidade! rs Aprendi da pior forma que durex não foi feita pra isso. Fita crepe sim... #ficadica

2 - É isso mesmo, Marcela. Não há nada de arrado em começar pelas vídeo-aulas para quebrar a barreira do desconhecido das matérias. O problema mesmo é a pessoa não sair desse primeiro passo, não percebendo a importância do estudo em casa, via exercícios, resumos e quadros.

Mari disse...

Olá Reili,
Já tem um tempo que acompanho o seu blog, mas nunca comentei. Estou estudando para ATRF. Poderia dar algumas dicas sobre as seguintes matérias:

- AFO
- Administração
- CI

Qual material você utilizou?Aulas on-line?Livros?

Mto obrigada!
Parabéns pela aprovação e pelo ótimo blog.

Reili Sampaio disse...

Mari: Olá, muito obrigado pela visita e pelos elogios! Rsrs
Vamos lá. Dicas sobre as referidas matérias merecem posts específicos, mas posso adiantar aqui os materiais utilizados por mim na preparação.
Em CI eu estudei pelo material do Canal, mais especificamente pelas aulas do Rodrigo Luz. Ele é muito direto e foca, dentre a imensidão do conteúdo da matéria, os pontos mais importantes, que devem ser objeto de estudo, a parte, pelo aluno, pois só assistindo à aula não da para aprender, só entender mesmo.
Em AFO eu não me aprofundei muito, mas tive uma ideia geral sobre a matéria com o professor Texima, também do Canal. Ele é bem didático e as informações são passadas de uma maneira bastante clara.
Quanto à Administração, eu estudei pelo material do Ponto, mas não me lembro do professor. Todavia, não estudei pelo curso completo da matéria, comprei um resumo no Ponto às vésperas da prova - se chamava BIZÚ ATRFB e tinha os pontos mais importantes de todas as matérias - e consegui fixar alguns conceitos importantes, mas não recomendo essa prática para quem está se preparando a médio/longo prazo. O meu caso foi necessário, haja vista o curtíssimo tempo que eu tinha disponível até a prova. Recomendo a aquisição de algum curso completo da disciplina no Ponto ou as aulas do Eu Vou Passar.
Por fim, ressalto que não utilizei nenhum livro dessas matérias, tendo em vista que, para o concurso, acredito que o livro não focaria nos assuntos importantes, que era o que eu realmente precisava.
Qq dúvida é só perguntar. Respondo sempre assim que puder.
Abs.

Reili Sampaio disse...

Só para fechar, o bizú das discursivas do Ponto em CI, do professor Rodrigo Luz, foi o que salvou minha redação no concurso. Um dos temas que o professor apostou que cairia foi o que realmente caiu. Belo tiro do mestre!

Andre disse...

olá, eu tenho uma duvida. quem pode fazer a prova e passar, assim tem que ter alguma graduação? eu tenho 18 anos e to pensando em prestar, eu posso? sei que nao sai o edital para esse ano e tal...

Reili Sampaio disse...

Olá, Andre, vamos aos fatos.
O edital ("LEI" do concurso) sempre versa que o candidato deverá apresentar o diploma de graduação na data da POSSE. Prestar o concurso todos podem, para assumir o cargo é que devem cumprir tal exigência. Inclusive, no meu concurso, até fazer o curso de formação sem apresentar o diploma o candidato pôde, pois aconteceu antes da posse. É claro que já ouvi histórias de pessoas que ainda não tinham terminado o curso superior e conseguiram, por liminar no Judiciário, estender o prazo para posse até conseguirem o diploma, mas é exceção. Bons estudos e boa sorte!

Anônimo disse...

olá, reili sampaio.
vc pode tirar uma dúvida ?
por acaso vc estudou no colegio pedro ii sao cristovão e morou em sao joao de meriti?
aqui é o anderson seu vizinho da rua jorge nahay. lembra de mim?
nos encontramos nas eleiçoes do ano passado e vc me disse que estava na receita.
cara este blog é fantastico e vou querer a sua ajuda para a minha aprovação na receita.
no momento eu sou servidor puplico federal e ja passei por 2 orgaos (ibge e ufrrj).
meu e-mail: anderson_blackbird@hotmail.com
par entrarmos em contato e trocarmos informaçoes;
parabens cara, vc sempre foi fera!!!

Reili Sampaio disse...

Grande Anderson! Muito obrigado, rapaz, mas não sou nada fera!! Quem me dera! Claro que lembro de vc! Como estão os trabalhos? Espero que as dicas do blog dêem uma ajuda no que for necessário. Coloquei aqui tudo o que eu gostaria que me informassem quando eu comecei a estudar. Grande abraço!

Anônimo disse...

vc aha o canal um bom curso?
quais os preparatorios vc me recomenda?
vc estudou por livros?
ou seja, qual foi a sua dinâmica de esudos até a aprovação.
abrços.
vc tem algum material para me ajudar.

Reili Sampaio disse...

Olá, amigo.
1- acho o CC um bom curso sim. É claro que cada um terá a sua preferência, mas acho a qualidade dos professores de lá bem alta.
2- recomendo o que vc conseguir aprender mais e o que estiver ao seu alcance. Cada um aprende melhor de um modo.
3- não estudei por livros, não tinha tempo. Só consultava algum livro quando tinha uma dúvida bem específica. Ideal mesmo seria ter me aprofundado por meio de livros, para o cargo de auditor.
4- estudei somente pelo material do Canal e outros materiais mais específicos, quando tinha alguma dúvida pontual.
Obrigado pelas, visitas. Grande abraço!

Anônimo disse...

Boa Noite !
Estou iniciando a preparação para o concurso de Auditor da Receita Federal. Minha formação é em Engenharia de Produção e no momento estou atuando na iniciativa privada.
Minhas dúvidas são as seguinte:
Devo iniciar estudando sozinho através de livros e posteriormente partir para um cursinho ou o melhor é iniciar por um cursinho ?
Em minha cidade há oferta do Curso Regular Fiscal Modular - Módulo I + II da LFG. Este curso e instituição são recomendáveis , valem a pena ?
O curso do canal dos concursos http://www.canaldosconcursos.com.br/cursos_online_video_aviso.php?id_categoria=166 é mais indicado ?

Certo da sua colaboração, desde já agradeço.

Maikel

Mateus Moura disse...

Meu velho,

Acompanhando o seu fórum, surgiu uma dúvida.
Estou fazendo curso regular mas online, e quero saber se: assistindo as video aulas, fazendo resumo, revisando todos os dias as aulas do dia anterior e no final de semana, revisar as aulas da semana e fazer exercícios, posso ter alguma chance de fazer uma boa prova?
Se eu ler apostilas, cursos em PDF eu não tenho um bom aproveitamento, eu consigo aprender mais assistindo as aulas e fazendo anotações no momento do aprendizado.
Compreende?
O que você acha?
Abraço e parabéns pelo artigo.

Reili Sampaio disse...

Mateus,
Acho ótima essa sua estratégia. Siga firme e com dedicação total q vc tem grande chance de ser aprovado, sim. Tente acabar as aulas teóricas antes do edital. Depois dele, procure fazer só exercícios, o máximo q puder, e tirar as poucas dúvidas restantes através de simulados.
Abraço!

Qual é o salário de Analista Tributário da Receita Federal?

Como mais um incentivo aos estudos, vale dar uma conferida na nova tabela salarial do cargo de Analista Tributário da Receita Federal,...