sexta-feira, 27 de julho de 2012

Dicas para Provas Discursivas

Pessoal, muita gente fica desesperada só de pensar em provas discursivas. Imagina que, por estar estudando há pouco tempo, não tem conteúdo para esse tipo de questão.
Realmente, fica difícil de se imaginar nessa situação tendo começado a estudar recentemente. Entretanto, a minha maior dica é: NÃO TENHAM MEDO!!! Estudem com tudo para as objetivas, pois a discursiva é a segunda fase. Não se preocupem com isso agora. Sejam classificados para a segunda fase e só depois se preocupem com ela. Uma coisa de cada vez.
Depois da prova objetiva, passem imediatamente para o estudo das discursivas, que é o simples treino exaustivo na resolução destas. Aí sim recomendo fortemente um curso preparatório. Pode ser um daqueles cursos online, em que você envia a sua redação/questão para o professor, por email, e ele lhe responde com os comentários e nota. Eu mesmo fiz deste modo e valeu muito a pena. Não há segredo. Façam inúmeras redações treinando caligrafia e estruturação de respostas e textos até o dia da prova. Tenho certeza absoluta que verificarão uma melhoria substancial na qualidade de seus textos. 
Caso não tenham condições de adquirir um curso desse tipo, também não é difícil treinar sozinho. Façam resumos de pontos específicos da matéria. Aqueles pontos controversos ou até mesmo que costumam cair muito nas objetivas. Criem textos curtos, poucos parágrafos sobre determinados temas, abordando os aspectos principais daquele assunto. O importante é treinar bastante a escrita.
Na sua correção, não faça isso logo ao acabar a redação/resposta/resumo. Deixem para o dia seguinte, quando já não terão aquela estrutura tão viva na mente. Sejam críticos, como se estivessem corrigindo a prova de um inimigo, na posição de examinador. Aponte o que está errado ou que poderia ser melhor e tente diminuir os erros nas próximas respostas.
Se puder dar essas redações para um colega, que também esteja estudando, corrigir, melhor ainda.
Outra dica interessante é, caso não saibam muito sobre determinado assunto, na hora da prova, mantenham-se nos princípios gerais do tema, produzindo um texto de ótima estrutura sobre os aspectos gerais do assunto. NUNCA, MAS NUNCA DEIXE EM BRANCO!!! Isso é um crime contra você mesmo. É absoluta sabotagem!
 No Fórum Concurseiros, um amigo ("Boina Azul") deixou dicas muito interessantes sobre as discursivas. Deixo aqui o texto dele, com o link, para consulta.
15 Dicas para discursivas ESAF ________________________________________ Pessoal, elaborei uma lista com 15 dicas para provas discursivas da ESAF. Algumas delas podem ser lógicas demais para alguns, mas no momento das provas a tensão é forte e corremos o risco de cometermos erros imperdoáveis, então nunca é demais fixar alguns procedimentos importantes.

Espero que essas orientações sejam úteis a vocês nessa próxima fase do MDIC, pois são fruto da minha experiência no último AFRFB, onde consegui média 92,5% no somatório das 6 questões exigidas no concurso. Com a utilização dessas dicas, eu ganhei 400 posições no resultado final do concurso e graças a Deus tomei posse, encerrando uma fase de muita luta e dedicação, mas que valeu muito a pena.

1. NÃO TENHA MEDO: Não vá para a prova imaginando que a banca exigirá um tema complexo. Geralmente os temas da ESAF são de conhecimento geral, o que dá margem a muitos argumentos na hora de escrever. A banca costuma exigir assuntos não muito complicados e difíceis, justamente para avaliar a capacidade argumentativa do candidato. Nos temas (40 a 60 linhas) e nas questões (15 a 30 linhas), o avaliador expõe o que deseja, na forma de subtópicos nos enunciados. Aborde absolutamente tudo o que está sendo exigido, na ordem que o enunciado trouxer.

2. ENTENDA O QUE TERÁ DE ESCREVER: Leia atentamente o enunciado de cada tema (ou questão) e procure entender o que o examinador pretende ler na resposta, para a partir daí começar a sua discursiva. Não saia respondendo às pressas na folha definitiva, pois isso pode ser desastroso. Cuidado para não fazer o seu rascunho na folha definitiva (no último concurso da CGU não houve folha separada de rascunho; o local para rascunhar era o verso da folha definitiva).

3. NÃO DEIXE DE RESPONDER: Tudo, absolutamente tudo que está no enunciado pode – e deve – ser respondido, sobretudo aqueles tópicos que você não sabe. O que o candidato não pode, em hipótese alguma, é deixar de responder. É claro que você não vai responder algo absurdamente incorreto, né? O que estou dizendo é que você pode "enrolar" e conseguir parte da nota (resposta incompleta, argumentação fraca etc) em vez de não responder nada e levar ZERO no quesito. Imaginemos, por exemplo, um tema X, totalmente atípico e desconhecido. Você poderá abordar aspectos como os seguintes: - O tema X possui características próprias e incomuns (tudo nessa vida possui características próprias e incomuns); - O tema X tem sido objeto de discussões e tem gerado grandes expectativas aos diversos setores interessados (qualquer tema pode provocar discussões e gerar expectativas aos setores interessados); - Alguns estudiosos e doutrinadores adotam uma postura cética sobre o correto aproveitamento do tema X, todavia outros profissionais trabalham no sentido de maximizar os benefícios e potencialidades do tema (há estudiosos e doutrinadores que defendem todo e qualquer ponto de vista); Talvez você não consiga enganar o examinador, mas ele não poderá atribuir nota ZERO ao seu texto, pois foi desenvolvido, ainda que forma meio “capenga”, algo a respeito do tema, o que garantirá, no mínimo, a pontuação relativa ao idioma.

4. PLANEJE SEU TEMPO E ORGANIZE SEU TEXTO: Faça a distribuição do tempo para as questões a serem respondidas e tente cumprir à risca cada minuto proposto. Na distribuição, dedique 10 minutos iniciais para relacionar tudo o que você sabe a respeito dos pontos que irá responder (brainstorm). RESUMO DA TÉCNICA DO BRAINSTORM (com adaptações minhas): leia o que o examinador deseja (todos os itens de um tema ou questão) e comece a listar tudo o que você sabe sobre ele. Faça em forma de lista (tópicos) todos os pontos que vier à mente. Escreva tudo, tudo mesmo, esprema seu cérebro para extrair o que você estudou acerca do assunto. Após listar tudo no rascunho, compare a sua lista de itens com o que foi pedido no enunciado. Elimine o que não tem nada a ver com o que foi cobrado e agrupe os outros tópicos da lista por assunto, numerando cada tópico de acordo com o que você escreverá em cada parágrafo argumentativo. Ex: se o 1º argumento (ou item a ser respondido) for “o efeito do câmbio”, marque com o nº "1" ao lado esquerdo de cada item correspondente que você listou... se o 2º argumento for “Medidas de Defesa Comercial”, coloque o nº "2" ao lado esquerdo de cada item relativo ao assunto, e assim por diante, entendeu? Isso fará com que você agrupe organizadamente as ideias de acordo com o assunto específico e evitará a repetição do que foi abordado e escrito em linhas anteriores. Se você conseguir treinar essa técnica, dará show e não deixará passar nada em branco na hora da resposta.

5. DISTRIBUA OS PARÁGRAFOS EQUILIBRADAMENTE: Procure fazer uma distribuição equilibrada dos parágrafos em relação aos tópicos exigidos. Exemplo: se a questão pede para abordar 4 aspectos de um tema, não escreva 3 parágrafos para um aspecto e 1 parágrafo para cada um dos outros. Provavelmente eles valem a mesma quantidade de pontos na grade de avaliação e o avaliador buscará as palavras-chave nas suas respostas em cada parágrafo.

6. SEJA CLARO E SIMPLES: Ao iniciar um parágrafo, deixe claro sobre qual item você estará abordando. Não vejo problema algum em repetir alguma expressão do enunciado, pois isso deixará bem claro o assunto que será tratado. Utilize linguagem simples e evite o uso de termos rebuscados ou jargões jurídicos. Se souber o conceito literal, melhor ainda.

7. OPTE POR PARÁGRAFOS CURTOS E OBJETIVOS: Procure escrever em parágrafos curtos (é preferível, pois um parágrafo muito extenso pode deixar o texto prolixo), mas cuidado para não exagerar na quantidade deles, pois pode tornar a leitura muito cansativa para o avaliador. Pense sempre como se você fosse corrigir 1.000 discursivas... quando chegar na 200ª, certamente já estará cansado. Se o avaliador não encontrar a expressão em um parágrafo, já se sentirá frustrado e seguirá para o próximo com uma pré-disposição de avaliar abaixo do esperado. Da mesma forma, não faça parágrafos muito extensos em relação aos demais. Procure distribuir suas argumentações em parágrafos regulares (mais ou menos com a mesma quantidade de linhas escritas), o que dá uma aparência muito melhor ao texto como um todo.

8. SIGA A SEQUÊNCIA DO ENUNCIADO: Muitas vezes o corretor não é especialista da matéria que está avaliando; ele possui uma lista de “termos” e “expressões” que necessariamente devem ser escritas pelo candidato nas respostas. Além disso, há uma grade que geralmente tem os tópicos na exata sequência exigida no comando da questão. Não inverta a ordem das suas respostas. Isso pode “emputecer” o avaliador, pois ele terá de procurar em qual parágrafo você respondeu determinado quesito. Tente seguir a exata sequência solicitada, ou seja, facilite a vida de quem está corrigindo!

9. NÃO REPITA AS IDEIAS: Evite a repetição de algumas ideias, pois o examinador pode interpretar que você está "espalhando" determinado conceito por todo o texto em detrimento de outros tópicos solicitados. O brainstorm auxilia muito para que isso não ocorra.

10. TREINE SUA LETRA: Ao fazer dissertações como treinamento, faça tudo à mão mesmo, não faça no computador.

11. NÃO CRIE NOVAS PERGUNTAS: Não crie perguntas na sua discursiva. Por exemplo: no decorrer da discursiva você resolve abordar um assunto na forma de pergunta. Ainda que você a responda logo em seguida, você não está ali para perguntar, pois já há um tema que deve ser respondido. Não usurpe a função do avaliador, você já tem muita coisa para responder.

12. EXEMPLIFIQUE: Na medida do possível, coloque exemplos (leis, acordos, dados numéricos, percentuais etc). Isso garante pontos com o examinador, pois mostra que você tem “argumento de autoridade” no assunto e sabe a aplicação prática dos conceitos.

13. POSICIONE-SE COMO SE JÁ ESTIVESSE OCUPANDO O CARGO: Responda aos quesitos como se já estivesse ocupando o cargo pretendido, mostrando segurança nos termos e certeza daquilo que está defendendo.

14. CUIDADO NA QUANTIDADE DE LINHAS: Muito cuidado com a folha de rascunho e a folha definitiva que a ESAF fornece. Na folha de rascunho cabe muita coisa (as linhas são mais extensas), mas na hora de passar a limpo, certamente faltará espaço. Se o seu rascunho deu 30 linhas, tenha certeza de que na hora de passar a limpo, serão umas 40 linhas, a não ser que você passe a limpo com uma letra minúscula. Portanto, não faça um rascunho com 60 linhas; você pode ter problemas na hora de passar a limpo, por falta de espaço. Geralmente os espelhos (rascunho e definitivo) são idênticos nos diversos concursos que a ESAF aplica. No link a seguir há um modelo de espelho para provas discursivas que a ESAF aplicou em 2006, no concurso de ACE-TCU.: http://portal2.tcu.gov.br/portal/pag...A_ACE_2006.pdf .

15. REVISE COM ATENÇÃO ANTES DE PASSAR A LIMPO: Revise seu texto antes de passar para a folha definitiva. Faça as modificações necessárias para então escrever com a letra bem caprichada na folha definitiva. Caso você erre alguma palavra, não rabisque ou tente apagar; basta passar um risco simples (de caneta) sobre a palavra ou expressão errada e escrever corretamente logo em seguida, continuando normalmente.

Bom, era isso. Perdoem os erros de português e as incoerências ortografias e gramaticais, pois sei que aqui no fórum tem muita gente boa. Sucesso a todos e um grande abraço.

Boina Azul (fonte: http://www.forumconcurseiros.com/forum/showthread.php?t=319924 )

3 comentários:

Ceminha disse...

Olá descobri esse blog hoje e gostei muito! Uma dúvida que tenho é: A tão temida prova discursiva explicada de modo simples e grosseiramente seria uma redação melhor elaborada onde se responderia a questão proposta baseada em Leis? Onde encontro modelos de dissertações para clarear mais?

Reili Sampaio disse...

Olá, Ceminha.

Depende da prova. Há modelos que exigem resposta direta a questões e há também aqueles onde ele oferece tópicos a serem discorridos em uma redação. Observe, em cada edital, de qual modo será cobrado em sua prova.
No site do Professor Cláudio José tem um material bem interessante a respeito das discursivas. Vale conferir. Segue o link: http://www.estudodeadministrativo.com.br/noticia-2009nov16-faca-download-das-questoes-discursivas-comentadas.php

Anônimo disse...

oi reili fale pra nos sobre a sindicancia de vida pregressa onde sonseguir as certidoes e o que sao elas grata POTI

Qual é o salário de Analista Tributário da Receita Federal?

Como mais um incentivo aos estudos, vale dar uma conferida na nova tabela salarial do cargo de Analista Tributário da Receita Federal,...